sexta-feira, janeiro 30, 2009

SIC: cerca de 50 trabalhadores rescindem

Segundo o Portugal Diário, "cerca de 50 trabalhadores deixaram a SIC no âmbito do plano de rescisões voluntárias iniciado em Novembro e inserido no processo de reestruturação da empresa, disse à Lusa o director-geral do canal. «O processo de adesão voluntária foi bastante bom. Correu dentro das nossas melhores expectativas, sem conflituosidade interna», afirmou Luís Marques, acrescentando que foram à volta de 50 os trabalhadores que aderiram. A empresa anunciou que o modelo de reestruturação do grupo cujo objectivo é «dotar a SIC da estratégia, organização e normas de funcionamento ajustadas à nova realidade do mercado e das tecnologias audiovisuais» foi aprovado pela comissão executiva do canal. «O modelo pretende simplificar a estrutura interna e concentrá-la naquilo que é o nosso negócio, conceber, produzir e emitir conteúdos. Toda a estrutura está focada nessa preocupação«, referiu o director-geral do canal de Carnaxide.
Dividida em 4 áreas
A SIC fica assim dividida em quatro grandes áreas: conteúdos, comercial, engenharia e sistemas. No âmbito desta reestruturação, a SIC definiu ainda um «manual de procedimentos», que tem por objectivo fixar um conjunto de princípios e regras processuais a serem adoptadas pelos colaboradores da empresa diariamente, bem como nas relações com terceiros, em particular com os telespectadores. A SIC, onde trabalham cerca de 600 pessoas, dispõe actualmente de cinco canais televisivos (SIC, SIC Notícias, SIC Mulher, SIC Radical e SIC Internacional), além da SIC Online e da SIC Portátil. Recorde-se que, as receitas totais da SIC, nos primeiros nove meses de 2008, desceram 1,5 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, para cerca de 130 milhões de euros e alcançou o segundo lugar nas preferências dos telespectadores"

Aviação: tem a noção do que é o tráfego diário no mundo?

Os testes (motor de avião) também falham

Publicações do INE

O INE editou a publicação sobre "Expectativas de redução do investimento empresarial em 2009": "Investimento em 2008 revisto em baixa face às perspectivas indicadas no inquérito anterior. De acordo com as intenções manifestadas pelas empresas no Inquérito ao Investimento de Outubro de 2008 (com período de inquirição entre 1 de Outubro de 2008 e 21 de Janeiro de 2009), o investimento empresarial deverá diminuir 8,6% em termos nominais em 2009. O mesmo inquérito aponta para que tenha ocorrido um crescimento nominal de 0,7% em 2008, o que representa uma significativa revisão em baixa face às perspectivas reveladas no inquérito anterior". Leia aqui o documento em pdf e aqui consulte os quadros em excel.
***
Foram igualmente editadas as "Estatísticas da Cultura, Desporto e Recreio - 2007" no qual se "divulga informação relativa ao ano de 2007 para o património cultural, artes plásticas, materiais impressos e literatura, espectáculos públicos, financiamento público das actividades culturais, radiodifusão e desporto. Com o objectivo de evidenciar as principais evoluções ocorridas nos domínios da cultura e desporto, disponibiliza-se uma breve análise de resultados.A estrutura desta publicação mantém-se face a edições anteriores. Porém, são incluídos no Capítulo 2, dados sobre as Despesas das Famílias em Lazer, distracção e cultura (divisão 09 da COICOP), provenientes da informação do “Inquérito às Despesas das Famílias 2005/2006” realizado pelo INE, entre Outubro de 2005 e Outubro de 2006". Leia aqui o documento em pdf e aqui consulte os quadros em excel.

Jardim denuncia "golpada" para beneficiar os Açores

Li no Jornal de Notícias, que cita a agência Lusa, que o presidente do Governo Regional da Madeira "afirmou hoje que o seu homólogo dos Açores "está baralhado" e que as declarações de Carlos César sobre Finanças Regionais confirmam que há uma "golpada" para beneficiar financeiramente aquela região. Jardim comentava as afirmações do presidente açoriano que, falando à margem de uma reunião entre o Grupo Parlamentar do PS, membros e Governo e autarcas socialistas, realizada na cidade da Horta, disse ser " muito importante" que os socialistas vençam as próximas eleições para a Assembleia da República, para evitar que o PSD de Manuela Ferreira Leite caia na tentação de "dar cabo da Lei de Finanças Regionais, e leve o dinheiro dos Açores para a Madeira". "O senhor César deve estar baralhado porque a ética do PSD é diferente da do PS", sublinhou o governante madeirense. Em declarações à agência Lusa, acrescentou ser "impensável o PSD instrumentalizar o Estado para fins político-partidários como fez o PS com o Governo da República". Para Jardim, estas afirmações de Carlos César "só vêm confirmar que houve uma golpada e o PS tirou dinheiro à Madeira para que os Açores fossem beneficiados"."Os governantes socialistas açorianos e nacionais vivem obcecados com a Madeira. Há aqui um síndrome patológico e faço votos que melhorem, que durmam mais umas horas e não percam o sono por causa da Madeira", argumentou."Sobretudo, faço votos para que deixem a Madeira em paz!", conclui". Não acham estranho que quem ande nervoso seja Carlos César?

Taça de Portugal: Nacional de parabéns

O Nacional, da Liga de futebol, teve trabalho suplementar para se apurar pela primeira vez para as meias-finais da Taça de Portugal, batendo no desempate por penaltis (4-2) o Atlético de Valdevez, da II Divisão B. Em Melgaço, casa emprestada aos minhotos, Mateus, Miguel Fidalgo e Nené converteram as respectivas grandes penalidades para os insulares, enquanto o guarda-redes Bracali defendeu os remates de Leo Sousa e Allan, tendo Telmo atirado por cima. O desafio terminou com 1-1 no tempo regulamentar - mantendo-se no prolongamento - com golos de Mateus (38 minutos), a aproveitar um brinde do guarda-redes contrário, e Diego (44), num lance em que a defesa insular também pareceu facilitar. O Nacional junta-se ao FC Porto e Paços de Ferreira nas meias-finais, com o Vitória de Guimarães e o Estrela da Amadora a decidirem em Fevereiro a quarta equipa para a eliminatória a duas "mãos". Veja aqui o video da TVI com o resumo do jogo. As nossas felicitações, atrasadas, mas não esquecidas. E a esperança que venham todos menos o Porto para que este fique para a final...

Pudera: César diz que açorianos têm mais 260 milhões

Segundo o Correio da Manhã, o "presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, afirmou hoje que os açorianos têm hoje "mais 260 milhões de euros nos bolsos" que os cidadãos do continente, em resultado das medidas sociais que o executivo tem adoptado no arquipélago. No Parlamento açoriano, respondendo às perguntas do PS sobre as medidas de combate à crise financeira já anunciadas pelo Governo, Carlos César adiantou que apesar da crise, 'os Açores têm um nível de protecção superior'. "A crise nos Açores tem uma intensidade menor que no resto do país', sublinhou governante, lembrando algumas medidas tomadas pelo seu executivo como as reduções fiscais, apoios às empresas, regimes de incentivos, aumentos salariais e do complemento ao salário mínimo, entre outras. Contudo, Carlos César admitiu ser necessário reforçar agora os apoios ao rendimento das famílias e das empresas regionais, através de medidas excepcionais. O presidente do Governo Regional adiantou que vai assinar um protocolo com a banca para a criação de linhas de crédito de apoios às empresas açorianas, através do financiamento de parte dos juros com os créditos bancários. "Julgamos que é possível ganhar esta batalha nos Açores de manutenção das empresas e do emprego e de salvaguarda do rendimento disponível das famílias', disse". Ora já estão a perceber como se "resolvem" crises, como se fazem "planos anti-crise", à custa de quem,etc.

Até parece um avião a sério…

Comunicação social: como se despedem jornalistas...

Salete Lemos ficou conhecida quando fazia par com Bóris Casoy no famoso jornal que apresentava na TV Record. Desfeita a equipe, após a demissão do Casoy (até hoje mal explicada pela Record) a jornalista foi afastada dos horários nobres dos noticiários, na televisão.Tempos depois foi contratada pela TV Cultura para apresentar um dos jornais da emissora. Agora, Salete Lemos foi demitida por ter feito uma denúncia contundente contra os bancos Bradesco e Caixa Econômica Federal, o Governo Federal e toda a rede bancária. Como dizem os brasileiros, “pegou pesado” contra essa gente, dizendo o que poucos jornalistas diriam. A TV Cultura não tem audiência significativa não tendo o episódio tido então grande repercussão. Mas Salete Lemos foi de férias e demitida.
***

INE: indicadores culturais


De acordo com os resultados estimados do Inquérito às Despesas das Famílias 2005/20061, a despesa total anual, a preços correntes de 2005, foi de 17 607€, em média por agregado residente em Portugal. Desse total, 997€ (5,7%) destinaram-se a Lazer, distracção e cultura (divisão 09 da COICOP – Classificação do Consumo Individual por Objectivo).As despesas com Lazer, distracção e cultura registaram um aumento da sua importância relativa no total das despesas familiares, passando de 3,7% em 1994/1995 para 5,7% em 2005/2006.A despesa anual média por agregado, por grupo etário do indivíduo de referência, foi superior nos indivíduos do grupo dos 45-64 anos (1 276€), seguidos dos indivíduos que têm entre 30-44 anos (1 230€). Considerando o sexo, verifica-se que os homens dos 45-64 anos, efectuaram uma despesa anual média por agregado em Lazer, distracção e cultura de 1 315€, enquanto que as mulheres que fizeram maior despesa (1 291€) foram as do grupo dos 30-44 anos. A análise por nível de escolaridade do indivíduo de referência, evidencia uma grande diferença entre a despesa total anual média dos agregados cujo individuo de referência possuía um nível de ensino superior (2 747€) e a efectuada pelo agregado cujo indivíduo de referência não possuía qualquer nível de escolaridade (167€).A análise à despesa média dos agregados segundo a principal fonte de rendimento, permite observar que os agregados que viviam principalmente de rendimentos de propriedade e capital, registavam o maior nível de despesa com Lazer, distracção e cultura (1 749€), seguidos dos agregados cuja principal fonte de rendimento é o trabalho por conta própria (1 313€) e o trabalho por conta de outrem (1 264€). Os resultados por NUTS II, evidenciam que na região de Lisboa se registou uma despesa total média, em Lazer, distracção e cultura superior à média nacional, com 1 405€, seguida da região do Algarve com 1 088€. Em todas as outras regiões o valor foi inferior à despesa total média, destacando-se a região do Alentejo (621€) e a Região Autónoma da Madeira (745€).

Considerando a despesa média por áreas de urbanização, observa-se que a despesa média por agregado em Lazer, distracção e cultura foi mais elevada (1 179€) nas áreas predominantemente urbanas. A despesa média por agregado nas áreas predominantemente rurais (418€) representou pouco mais de 1/3 do valor gasto pelos agregados residentes em áreas predominantemente urbanas. Do total da despesa média efectuada em Lazer, distracção e cultura (997€), quase metade desse valor teve como destino os Serviços recreativos e culturais (401€), dos quais se destacam os serviços de distracção e cultura (217€) e os jogos de azar (122€).
FINANCIAMENTO PÚBLICO DAS ACTIVIDADESCULTURAIS
Em 2007, as despesas das Câmaras Municipais com actividades culturais e desporto ascenderam a cerca de 789,4 milhões de Euros, traduzindo num decréscimo de 1,7% face ao ano anterior. Por regiões, as maiores diminuições nas despesas em cultura e desporto registaram-se nas autarquias localizadas na Região Autónoma da Madeira (-27%), Alentejo (-20%) e Centro (-5%). Pelo contrário, as autarquias da região de Lisboa e do Algarve aumentaram as despesas efectuadas em cultura e desporto em 12% e 11%, respectivamente. Face a 2006, verificaram-se decréscimos nas despesas efectuadas em recintos culturais (-22%) e em outras despesas com a cultura (-17%). Em todos os outros domínios as despesas aumentaram, destacando-se as efectuadas nas artes plásticas (42%), artes cénicas (29%), património cultural (11%) e na radiodifusão (10%). Do total das despesas em cultura e desporto realizadas em 2007, pelas Câmaras Municipais, continuaram a destacar-se as afectas aos seguintes domínios: jogos e desportos (38%), património cultural (12%), recintos culturais (11%), publicações e literatura (10%) e actividades sócio-culturais (9%). Os domínios que tiveram menor expressão na estrutura das despesas foram: radiodifusão, cinema e fotografia, artes plásticas, artes cénicas e música, as quais representaram, em conjunto, cerca de 9% do total das despesas em cultura e desporto. Do total das despesas em jogos e desportos (301,4 milhões de Euros), mais de metade destinaram-se à construção e manutenção de recintos (52%), seguindo-se o financiamento às associações desportivas (22%) e às actividades desportivas (20%). Os municípios do Algarve, Alentejo e Região Autónoma dos Açores foram os que destinaram maior proporção do seu orçamento às actividades culturais e de desporto 14,2%, 12,6% e 12,1%, respectivamente. As despesas em cultura e desporto tiveram menor peso nos orçamentos do conjunto das autarquias da Região Autónoma da Madeira (4,3%) e da região de Lisboa (8,2%). (para ampliar os quadros, clicar directamente sobre os mesmos)

Plano anti-crise socialista...funciona

Números do desemprego não surpreendem Vieira da Silva

Dados sobre o "Caso Freeport"

Ingleses investigam
***
Procuradora revela aspectos sobre o caso Freeport

Manuela Ferreira Leite apela ao governo socialista

***
Actividade económica em Portugal continua em queda

Assembleia dos Açores: PS impõe corte nas verbas aos partidos

O parlamento açoriano aprovou 5ª feira uma proposta do PS que reduz as despesas com pessoal de apoio aos grupos parlamentares. A oposição contestou perante a imposição dos socialistas que visa criar dificuldades aos partidos nos Açores
***

Açores: Taxistas de Angra do Heroismo afastados do aeroporto

Futebol: um bom guarda-redes para o Benfica

Ainda falam das aterragens na Madeira?

***

Sorte? Sorte é isto (em Israel)….

Plano anti-crise socialista: "Salvem os Ricos"...

Onde pára o plano anti-crise dos socialistas? (V)

Li aqui que "as paragens de produção em várias unidades fabris de portugal sucedem-se. A Qimonda de Vila do Conde vai estar parada este fim-de-semana, mas também o sector automóvel tem pelo frente tempos difíceis. A Renault de Cacia, em Aveiro, já anunciou dois períodos de interrupção para Fevereiro. A situação é fácil de explicar, esclarece a Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel. Se há menos pessoas a comprar carros novos, as encomendas de componentes diminuem e as fábricas vêem-se obrigadas a parar a produção. A Renault em Cacia nem abriu portas esta sexta-feira. É a primeira paralisaçãoem 2009, mas para Fevereiro estão previstas mais duas. Por enquanto, a administração assegura que os postos de trabalho não estão em risco. A Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel adianta que, actualmente, são poucas as empresas que não vão ter que fazer pausas na produção. A Sodecia, na Guarda, até pondera um «lay-off» de seis meses. E a crise chega também a outros sectores. A maior exportadora portuguesa, a Qimonda de Vila do Conde, não vai produzir qualquer semi-condutor durante todo o fim-de-semana.Depois da paragem vêm as reuniões. O administrador da insolvência internacional chega a Portugal segunda-feira para encontros com os trabalhadores e com membros do Governo".

"Sol": e-mails revelam conluio e "luvas"

O semanário Sol confirma no seu site, num texto da jornalista Felícia Cabrita, que "e-mails recebidos pela Freeport ilustram amplamente a corrupção. O Estudo de Impacto Ambiental é o que requer maiores ‘luvas’, designadas por ‘bribery’. Um dos homens-chave português é designado por ‘Pinocchio’. A empresa conhecia por antecipação as decisões políticas. Os E-MAILS recebidos em 2001 e 2002 pelos responsáveis da Freeport no Reino Unido, provenientes de Portugal – designadamente de Charles Smith, sócio da empresa contratada para obter as aprovações necessárias à construção do outlet de Alcochete –, implicam José Sócrates e responsáveis de organismos do Ministério do Ambiente e da Câmara de Alcochete numa negociação quanto aos passos a dar para conseguir que o empreendimento tivesse luz verde.Estes e-mails revelam ainda uma grande promiscuidade entre os representantes da Freeport e esses dirigentes, bem como um conhecimento antecipado das decisões oficiais e das datas em que seriam tomadas. Na correspondência trocada, as «bribery» – pagamentos por baixo da mesa ou ‘luvas’, acordados entre os dois lados – são palavras recorrentes.
Alguns excertos dos e-mails trocados:
- «tudo deve estar concluído antes do novo Governo tomar posse»
- «tenho estado sob ordens muito rígidas do ministro para não dizer nada»
- «enviar a taxa em duas partes, uma para o Estudo de Impacto Ambiental e outra para os protocolos. Tenho as pessoas sob controlo graças a essa transferência»
- «para o Estudo de Impacto Ambiental é necessário pagar mais 50K. Não digo para pagar já, faça só a transferência».

Sondagem: mais de 50% dos portugueses contra casamentos entre homossexuais

Segundo foi hoje noticiado pela TVI, uma sondagem encomendada para o efeito demonstra que "mais de 50% dos portugueses contra casamentos entre homossexuais". A notícia refere que "é uma imagem que pertence ao campo da ficção. A regulamentação do casamento homossexual em Portugal é assunto que gera discórdia, divide mentalidades e opiniões. Senão vejamos: 36% dos portugueses concorda com o casamento homossexual. 55%, mais de metade da população, não aceita a celebração do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. 8,7 por cento dos inquiridos não sabe ou não responde. Nesta questão, os mais novos são os mais receptivos à mudança. Só na faixa etária entre os 18 e 34 anos o «sim» ao casamento homossexual reúne a maioria dos votos. Quando se fala de adopção, o «não» volta a ganhar vantagem. 66 por cento das pessoas não concorda que um casal homossexual adopte uma criança e aqui são os homens quem mais vota contra. Já 27,7 por cento dos portugueses vê a adopção por um casal homossexual com bons olhos. 6,3 por cento não sabe ou prefere não se pronunciar sobre a questão. O casamento homossexual tem gerado debate, mas leis ainda não as há. Perguntámos então aos portugueses se consideram fazer ou não sentido a criação de legislação sobre o casamento homossexual. Aqui, o «sim» volta a perder a corrida. 36,7 por cento dos portugueses concorda com a criação de leis. Mas 57,3 por cento rejeita a legislação sobre o tema. Razão pela qual quando questionados sobre a urgência dessas mesmas leis, apenas 9,2 por cento dos inquiridos tem muita pressa em vê-las aprovadas. 34,2 por cento considera urgente a sua criação, já 41 por cento dos inquiridos vê pouca urgência nisso. Sendo que 13,6 por cento considera muito pouco urgente. Urgente ou não, o governo já se comprometeu a promover o debate. E a ser criada uma lei é importante perceber o porquê da sua criação. As razões eleitorais vão à frente, com 54,3 por cento dos portugueses a acreditar que o desejo de recolher votos dá o mote à aprovação de uma lei. Apenas 21,7 por cento dos inquiridos crê que o respeito pela igualdade individual estará na base de uma futura legislação. Regulamentar o casamento homossexual é uma luta para muitos e uma das bandeiras de José Sócrates para as próximas eleições". Um dois principais temas da moção de José Sócrates ao Congresso...

"Caso Freeport": tio de Sócrates diz que "não deve"

Li no Jornal de Negócios, que "na abertura dos telejornais desta noite, destaque para a presença do tio de José Sócrates, Júlio Monteiro, no noticiário da TVI. O familiar do primeiro-ministro, que será alvo daqui a minutos de uma entrevista mais longa, disse nas primeiras impressões que quem não deve, não teme , trocando a ordem do provérbio popular. Na RTP, o canal público abriu com um directo de Londres, em que umas das repórteres da estação dá nota de uma alegada segunda reunião entre José Sócrates e os promotores do Freeport. Numa segunda peça, a RTP disse quais são os quatro suspeitos portugueses nomeados pelo polícia britânica: além de José Sócrates, surgem referências a José Marques, João Cabral e Manuel Pedro.Na SIC, o caso Freeport não foi a notícia de abertura. O canal do grupo Impresa deu destaque a uma greve dos trabalhadores de algumas refinarias britânicas, em protesto contra a contratação de trabalhadores portugueses e italianos".

"Caso Freeport": conheça a versão integral da carta rogatória

Ficamos a hoje a conhecer a versão integral da carta rogatória da investigação do Freeport. Para além do DN de Lisboa também o Expresso divulga aqui o documento. Uma carta rogatória é um instrumento jurídico de cooperação entre dois países. É similar à carta precatória, mas diferencia-se desta por ter um carácter internacional. A carta rogatória tem por objectivo a realização de actos e diligências processuais no exterior, como, por exemplo, audição de testemunhas, e não possui fins executórios. Caso esteja interessado em saber algo mais sobre esta figura da carta rogatória recomendo este link para a página da PGR.

Onde pára o plano anti-crise dos socialistas? (IV)

Foi hoje noticiado que "os empresários vão apertar os cordões à bolsa e cortar e muito no investimento em 2009. Segundo o Instituto Nacional de Estatística este ano o investimento vai cair 8,6 por cento. É o maior recuo desde 2003, ano em que a economia nacional sofreu a última recessão. O inquérito de conjuntura ao investimento diz ainda que em 2008 o investimento avançou apenas 0,7 por cento. É uma forte revisão em baixa, já que representa menos 10,3 por cento do que o inicialmente estimado. E só não caiu mais porque algumas grandes empresas fizeram investimentos avultados nos primeiros nove meses de 2008. A indústria extractiva, o alojamento e a restauração, bem como as actividades imobiliárias serão os sectores que deverão sofrer quebras mais significativas, em 2009. Quebras que vão travar a também a criação de emprego por parte das empresas que deverá recuar 2 por cento. Confirmada está a travagem brusca da produção industrial. Em Dezembro de 2008, a indústria nacional produziu menos 11, 4 por cento do que em igual período do ano anterior. Todos os sectores industriais registaram este comportamento negativo. Só a indústria energética escapou. Um cenário negro que atinge também o comércio a retalho. Ainda segundo o INE em Dezembro passado o volume de negócios do comércio retalhista caiu mais de 6 por cento em relação a Dezembro de 2007".

Onde pára o plano anti-crise dos socialistas? (III)

O número de desempregados sem subsídio aumentou no final de 2008. De acordo com dados da Segurança Social, em Novembro, estavam inscritas 409 mil pessoas nos centros de emprego, mas só 256 mil recebiam subsídio de desemprego. Isto significa que no penúltimo mês do ano, mais de 150 mil portugueses não tinham trabalho nem eram subsidiados. Este é o valor mais alto, pelo menos desde o início de 2007.

Onde pára o plano anti-crise dos socialistas? (II)

Segundo escreve o jornalista Eduardo Melo do Publico, "o número de empresas que entraram em insolvência e em falência disparou no ano passado, subindo 67 por cento, para 3344 casos, face a 2007, ano em que se observaram 2001 processos, revela hoje um estudo da Informa Dun & Bradstreet.Os distritos do Porto, Lisboa e Braga concentraram quase dois terços (62 por cento) das situações identificadas pela D&B portuguesa e mais de metade (51 por cento) das insolvências e falências ocorreram em empresas com menos de cinco trabalhadores. Nas empresas com mais de 50 trabalhadores o fenómeno de falência ou insolvência foi mais diminuto, afectando cinco por cento do universo de sociedades dessa dimensão. Os dados recolhidos pela D&B apontam ainda que quase metade (46 por cento) das situações de insolvência e de falência sucederam-se em firmas com menos de dez anos. As fábricas, os grossistas e a construção foram os sectores mais afectados pela crise e onde os empresários ou gestores não tiveram outra opção senão fechar as portas.Do total de empresas que entraram no radar da Informa D&B, 27 por cento são fábricas, 19 por cento grossistas e 18 por cento unidades do sector da construção. Por áreas de actividade, o gás, a electricidade e água, a exploração mineira e as telecomunicações constituíram os negócios mais lesados pela recessão interna e internacional que se implantou com uma rapidez como nunca se tinha visto nas últimas décadas". Um tema também noticiado no Jornal de Negócios.

Onde pára o plano anti-crise dos socialistas? (I)

"A taxa de desemprego em Portugal subiu para quase 8% em Dezembro. Os dados foram divulgados esta sexta-feira de manhã pelo Eurostat, o gabinete de estatística da União Europeia. Os números provam que a recessão da economia já está a fazer subir o número de pessoas sem trabalho.A taxa de desemprego está nos 7,9%, o que equivale a quase 450 mil desempregados. A tendência ao longo do ano foi de agravamento, com o desemprego em Portugal a aumentar duas décimas face a Dezembro de 2007. O aumento do desemprego é um fenómeno europeu. No espaço de um ano, em Espanha, a taxa de desemprego saltou de 8,7 para mais de 14%, o que representa quase o dobro. Na Zona Euro, o desemprego atinge 8% da população activa, ligeiramente acima dos valores de Portugal" (aqui)

Mais broncas: "Sol" revela e-mails que falam de «subornos»

Mais broncas? De facto li aqui que "no dia 10 de Março de 2002, Charles Smith enviou um e-mail a Garry Russell director do Freeport no Reino Unido dizendo-lhe: «o dia 14 de Março é o mais importante para que tudo se resolva». De facto foi a 14 de Março que a declaração de impacto ambiental do Freeport foi aprovada. Nessas mensagens os ingleses demonstram não confiar nos portugueses. Smith alerta Russell em e-mail: «Na reunião de 17 de Janeiro (aquela em que, segundo a carta rogatória da polícia inglesa, esteve Sócrates) assumiste que pagávamos pelo estudo de impacto ambiental 90% à cabeça mas aconselho-te a dividir a quantia em três ou mais tranches». Depois da aprovação da declaração de impacto ambiental Smith recebe uma mensagem de Bill McKinney de uma empresa imobiliária irlandesa que trabalhou no projecto a protestar não receber a sua parte e não ter sido informado da aprovação. Smith desculpa-se dizendo que «tinha ordens muito rígidas do ministro no sentido de não dizer nada antes da recepção do documento e do relatório». Já em Junho, Smith insiste, em mensagem a Russell, para que pagamentos sejam feitos: «qual a posição em relação à aprovação da EIA? Para este também é necessário um pagamento de 50 k. Não estou a dizer para pagar, faça só a transferência, de modo a que nada fique estagnado». São estes algumas das mensagens comprometedoras para quem aprovou o Freeport que o semanário «SOL» revela amanhã".

O governo socialista, o relatório, a OCDE e a aldrabice

Uma pouca vergonha que revela o descaramento e o desespero crescente dos socialistas. Sócrates e a Ministra da Educação promoveram mais uma festarola para revelar o que parecia ser um relatório da OCDE. A OCDE desmentiu, o PSD encostou no dia seguinte José Sócrates à parede na Assembleia da Republica, depois sabe-se que apenas uma funcionária da OCDE assina um prefácio. O PS e o Governo vão à pressa alterar as notícias que tinham veiculado nos seus sites. Ficaram os registos sonoros. Mas ficou a a aldrabice que revela o descaramento a que tudo isto chegou e a falta de carácter e de seriedade de quem tolera que isto chegue a este ponto. De facto, "o primeiro-ministro anunciou esta semana ao país, com a devida pompa, que um relatório da OCDE continha grandes elogios às políticas educativas do Governo. Na circunstância, José Sócrates sublinhou que há décadas não se lembrava de tanto elogio junto. A OCDE, segundo Sócrates, terá mesmo afirmado que em matéria de política educativa, Portugal era um modelo a seguir. Os elogios à resistência da ministra da Educação também fariam parte do relatório da OCDE. Tudo seria perfeito para o Governo, se o dito relatório fosse de facto da OCDE. Mas 48 horas após o anúncio do relatório, veio afinal a saber-se que o dito documento da OCDE afinal não é da OCDE. Trata-se apenas de um estudo sobre política educativa encomendado e pago pelo governo e que segue os critérios da OCDE. Mas não é da OCDE" (aqui).
***
PSD acusa Governo de encomendar relatório favorável sobre Educação
Segundo o Sol, "no debate quinzenal desta semana, o PSD escolheu a economia como tema, mas Paulo Rangel aproveitou por referir o relatório sobre a Educação que o Governo apresentou esta semana. «Isto não é um relatório da OCDE», acusou o líder parlamentar, dizendo que foi encomendado pelo Governo. «Os senhores não suportam o sucesso do país», respondeu Sócrates.Paulo Rangel abriu o debate quinzenal sobre economia falando do encerramento de empresas e despedimentos colectivos. «O primeiro-ministro disse que ia salvar todas as empresas», afirmou o líder parlamentar do PSD. Perguntou ao primeiro-ministro José Sócrates se o Governo está disposto a baixar a taxa social única. Sócrates respondeu reafirmando que «as empresas economicamente sólidas» são as que deverão ser ajudadas pelo Governo. Acusou até o PSD de «estar fora deste mundo», «em divergência com o Governo e com todos os outros países». O primeiro-ministro não respondeu à pergunta de Paulo Rangel sobre os impostos, que mudou o tema e questionou o primeiro-ministro sobre o relatório da OCDE, sobre Educação, apresentado ao Governo e muito favorável. «O estudo é de peritos, feito com metodologia da OCDE», respondeu Sócrates, que citou elogios ao mesmo. «Isto não é um relatório da OCDE», acusou o líder parlamentar social-democrata, dizendo que foi encomendado pelo Governo, para efeitos de propaganda, usando um texto de uma especialista da OCDE, mas apenas como prefácio ao estudo. «Enganou os portugueses», disse Paulo Rangel.«Os senhores não suportam o sucesso do país», respondeu Sócrates, lembrando que o relatório foi feito por especialistas internacionais de vários países".
***
PS muda texto do site que falava de relatório da OCDE
Ainda segubndo o Sol, "o PS modificou hoje na sua página na Internet o conteúdo de um texto que dava conta de um «relatório da OCDE» sobre políticas educativas, alterando-o para um artigo onde Sócrates «elogia a resistência» da ministra da Educação. No primeiro texto, ainda disponível no site dos socialistas, www.ps.pt, às 11h24 de hoje, - distribuído hoje no Parlamento pelo PSD - o título da notícia era 'Relatório da OCDE elogia política de Educação do Governo PS'.Às 16h00, já durante o debate quinzenal no Parlamento com a presença do primeiro-ministro, a página do PS mostrava um novo título, «José Sócrates elogia resistência da ministra da Educação».Também no corpo do texto se registavam alterações, tendo sido substituída, no segundo parágrafo, a expressão «relatório da OCDE sobre política educativa» por «estudo sobre política educativa".

Sondagem: PS e Sócrates afundam-se

O PS afundou-se, num mês na sondagem politica que a TVI publica. Curiosamente a maioria dos portugueses noutra sondagem manifesta-se contra casamentos entre homossexuais, um dos temas mais em destaque na moção que Sócrates leva ao Congresso. As coisas estão a ficar bem pretas e ninguém sabe até onde vão parar estes processos de claro desgaste dos socialistas em curso. Vou recolher mais elementos e depois darei informações mais concretas. Destaque ainda para a entrevista concedida à TVI, nos estúdios, pelo tio de Sócrates envolvido no caso Freeport, mas que teve sempre o cuidado de defender o "zezito" embora confirmando que foi intermediário no contacto entre os ingleses e o Ministério do Ambiente liderado então pelo seu sobrinho José Sócrates.

quinta-feira, janeiro 29, 2009

Açores: ele além de nervoso não deve estar bem

É preciso ter lata. Eu sei que Carlos César, depois de ter ter andado estes últimos anos a receber milhões e de ter ganho as eleições regionais de Outubro passado com aqueles "brilhantes" resultados que só o dignificam, a ele e ao PS local (abstenção de quase 54% e vitória socialista com 49,2%) de deve andar nervoso, porque três actos eleitorais seguidos podem gerar problemas ainda maiores. Mas não é preciso chegar a extremos patéticos e absurdos como estes, em que a vitória do PS se torna necessária, imagine-se, porque se o PSD ganhar mudará a lei de finanças regionais e dará à Madeira dinheiro roubando-o aos Açores! O homem não deve estar bom. Mas a notícia aí fica, tirada do próprio site institucional do PS açoriano

Muito importante que PS vença as eleições para o PSD não dar cabo da Lei de Finanças Regionais, defende Carlos César
O líder do PS/Açores defendeu ser “muito importante” que o partido vença as próximas eleições para a Assembleia da República, de modo a evitar a tentação do PSD de Manuela Ferreira Leite de “dar cabo da Lei de Finanças Regionais”. “É muito importante que o próximo Governo da República seja do PS, porque, se for do PSD, a sua primeira tentação será dar cabo desta Lei de Finanças Regionais e levar o dinheiro dos Açores para a Madeira”, afirmou Carlos César, na cidade da Horta. Carlos César adiantou, ainda, que o partido quer vencer as eleições, que se vão realizar este ano, para as autarquias locais e para a Assembleia da República e garantiu o empenhamento “numa vitória e na reeleição do engenheiro Sócrates para o cargo de Primeiro-Ministro de Portugal”. O presidente do PS/Açores reuniu-se com o grupo parlamentar, presidente da Câmara Municipal da Horta e membros do Governo num encontro de trabalho conjunto para perspectivar o desenvolvimento estrutural da ilha do Faial e “tomar o pulso” a um conjunto de medidas para superar o clima de dificuldades que existe para empresas e famílias dos Açores (...) “A nossa ambição é vencer, pela primeira vez, as eleições autárquicas nos Açores e estamos muito empenhados nesta batalha eleitoral”, garantiu Carlos César. Quanto às eleições legislativas, o presidente do PS/Açores disse que tem “uma leitura muito positiva” dos deputados socialistas eleitos pela Região, que “têm honrado e defendido os Açores e têm uma projecção nacional muito relevante, ao contrário dos deputados do PSD, que, apenas, fazem requerimentos para prejudicar o Governo dos Açores”. Questionado pelos jornalistas sobre uma proposta da presidente do PSD/Açores relativa ao financiamento da RTP/A, o líder do PS/Açores considerou que se trata de uma “proposta sem substância e sem sentido”. “O que é que interessa estar o financiamento da RTP na Lei de Finanças Regionais, ou na Lei da Televisão, ou na Lei do Orçamento de Estado ou numa lei própria? É apenas um lugar para ter financiamento” para a RTP/Açores, disse Carlos César. Segundo disse, o problema da empresa é estrutural, de definição do seu conteúdo estratégico e da sua inserção no âmbito do serviço público, assim como de maior atenção da sua administração aos seus centros regionais, particularmente ao dos Açores.

Canárias: empresários hoteleiros em guerra de preços

Escreve o jornalista Rubén Reja do La Provincia que "los empresarios turísticos han iniciado una guerra de precios en Canarias con el objetivo de incrementar la ocupación de los establecimientos. Tanto los hoteles como los apartamentos han modificado a la baja sus ofertas, que no sólo responden a la presión de los turoperadores, sino que también es consecuencia de la debilidad de los principales mercados emisores. De un lado, Alemania está en la recesión más grave desde la II Guerra Mundial debido a la bajada de sus exportaciones, y por otra parte, la proximidad entre la libra y el euro hacen de Canarias un destino menos atractivo. A modo de ejemplo, hoteles de cuatro estrellas ofrecen habitación por apenas 19 euros, según varias agencias de viajes consultadas por este periódico. En este contexto, el presidente del grupo Dunas, Ángel Luis Tadeo, recordó que los turoperadores buscan ya nuevos socios para sus clientes, con lo que existe una transformación del negocio, al que le hace falta más promoción y, sobre todo, incrementar las conexiones aéreas. Así, el directivo de Seaside Hotels, Fernando Larroche, subraya que "es fundamental trabajar por atraer más vuelos hacia Canarias". Desde el sector, además, advierten que la crisis y la debilidad de las reservas para el verano provocarán más expedientes de regulación en los próximos meses. La peor muestra la puso en evidencia ayer Fecao, que apuntó que medio centenar de negocios echaron el cierre desde primeros de año. Desde esta asociación destacan que "debemos hacer un giro empresarial rápido, importante y, sobre todo, de cambio a los momentos actuales, en un nuevo mundo donde la tecnología cada vez manda más en la información, en las compras y en un sector como el Ocio y la Restauración".

Os Vampiros do Século XXI

Com este título anda esta mensagem a correr na Internet:
"A Caixa Geral de Depósitos (CGD) está a enviar aos seus clientes mais modestos uma circular que deveria fazer corar de vergonha os administradores – principescamente pagos - daquela instituição bancária. A carta da CGD começa, como mandam as boas regras de marketing, por reafirmar o empenho do Banco em oferecer aos seus clientes as melhores condições de preço qualidade em toda a gama de prestação de serviços, incluindo no que respeita a despesas de manutenção nas contas à ordem. As palavras de circunstância não chegam sequer a suscitar qualquer tipo de ilusões, dado que após novo parágrafo sobre racionalização e eficiência da gestão de contas, o estimado/a cliente é confrontado com a informação de que, para continuar a usufruir da isenção da comissão de despesas de manutenção, terá de ter em cada trimestre um saldo médio superior a EUR1000, ter crédito de vencimento ou ter aplicações financeiras associadas à respectiva conta. Ora sucede que muitas contas da CGD, designadamente de pensionistas e reformados, são abertas por imposição legal.
É o caso de um reformado por invalidez e quase septuagenário, que sobrevive com uma pensão de EUR243,45 - que para ter direito ao piedoso subsídio diário de EUR 7,57 (sete euros e cinquenta e sete cêntimos!) foi forçado a abrir conta na CGD por determinação expressa da Segurança Social para receber a reforma.
Como se compreende, casos como este - e muitos são os portugueses que vivem abaixo ou no limiar da pobreza - não podem, de todo, preencher os requisitos impostos pela CGD e tão pouco dar-se ao luxo de pagar despesas de manutenção de uma conta que foram constrangidos a abrir para acolher a sua miséria. O mais escandaloso é que seja justamente uma instituição bancária que ano após ano apresenta lucros fabulosos e que aposenta os seus administradores, mesmo quando efémeros, com «obscenas» pensões (para citar Bagão Félix), a vir exigir a quem mal consegue sobreviver que contribua para engordar os seus lautos proventos.
É sem dúvida uma situação ridícula e vergonhosa, como lhe chama o nosso leitor, mas as palavras sabem a pouco quando se trata de denunciar tamanha indignidade. Esta é a face brutal do capitalismo selvagem que nos servem sob a capa da democracia, em que até a esmola paga taxa. Sem respeito pela dignidade humana e sem qualquer resquício de decência, com o único objectivo de acumular mais e mais lucros, eis os administradores de sucesso".
***
Money Counting

Que tal fazer o mesmo?

Naviera Armas rejeita acusações de concorrência desleal na ligação Continente-Madeira

A empresa espanhola emitiu o seguinte comunicado:
"Em face das declarações inexactas que têm surgido nos meios de comunicação durante os últimos dias, proferidas por alguns organismos oficiais e por parte de Armadores e respectivo sindicato, Naviera Armas, S.A. vê-se, desta forma, na obrigação de esclarecer os seguintes pontos:
a. Condições de licenciamento do transporte de passageiros e carga rodada entre o Continente e a Região Autónoma da Madeira.
Naviera Armas, S.A. é titular de uma licença emitida pelo IPTM - Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, IP, licença esta emitida sob parecer da APRAM - Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira, S.A., pela qual foi autorizada a efectuar o transporte de passageiros e de carga rodada entre o Continente (Porto de Portimão) e a Região Autónoma da Madeira (Porto do Funchal) e vice-versa, nos termos do Decreto-Lei 7/2006, de 4 de Janeiro, pelo período mínimo de dois anos, com o navio de bandeira espanhola Volcán de Tijarafe. Esta licença, que se mantém válida e eficaz, tal como no dia em que foi emitida, está a ser integralmente cumprida pela Naviera Armas, S.A. Há ainda a assinalar que no mesmo Porto do Funchal opera um outro Ferry que ali efectua exactamente as mesmas operações que o Volcán de Tijarafe, inclusive descontentorizando as mercadorias no próprio Porto, algo que nunca a Naviera Armas S.A. efectuou, sem que esta operação, pelo menos que se saiba, tenha, em momento algum, causado qualquer celeuma. Como é sabido, o projecto de ligação rodoviária do Porto do Funchal à Estrada da Liberdade (Via Rápida) era justificada pela necessidade de escoamento rápido dos camiões provenientes do Porto do Funchal, sendo que a construção desta via está quase concluída, trazendo vantagens enormes para os madeirenses, possibilitando a saída e entrada de veículos ligeiros e pesados sem que a vida normal da cidade se veja minimamente afectada.
b.Concorrência desleal perante os demais armadores que operam na mesma Região.
No que concerne à tão propagandeada (quanto errónea) alegação de concorrência desleal, cumpre, desde logo, assinalar que para que se possa falar em concorrência desleal é preciso que, primo, exista concorrência. Ora, na actividade levada a cabo pela Naviera Armas na Região Autónoma da Madeira (transporte regular de passageiros e carga rolante entre o Continente (Portimão) e a Região Autónoma da Madeira (Funchal), não existe sequer concorrência por parte dos demais armadores. O serviço oferecido pela Naviera Armas entre o Continente e a Ilha da Madeira é um serviço de transporte marítimo moderno, tanto de passageiros como de mercadorias, serviço este que não é sequer comparável ao prestado pelos navios porta contentores. Na actualidade, Naviera Armas, S. A. está a realizar aquela ligação marítima com um Ferry-Boat de última geração, cujos custos, tanto de aquisição como de exploração e manutenção, são muito superiores aos de um navio porta contentores. Em relação ao custo do transporte terrestre, deve-se esclarecer que a maior parte da mercadoria transportada pelo Volcán de Tijarafe entre o Continente (Portimão) e a Ilha da Madeira (Funchal) tem origem na zona da Grande Lisboa. O custo deste transporte terrestre, suportado pela Naviera Armas, S. A., entre a zona da Grande Lisboa e o Porto de Portimão é muito superior ao custo do transporte que possa existir entre o Porto do Caniçal e os pólos industriais da Madeira para onde se fornece a mercadoria proveniente do continente. Tendo em conta o supra exposto, Naviera Armas, S. A. está a oferecer aos seus clientes preços muito competitivos, que se estão reflectindo no preço final das mercadorias transportadas pela nossa empresa.
c.Agradecimentos aos nossos clientes.
Depois de vários meses de prestação de serviço regular, Naviera Armas deseja agradecer a todos os Madeirenses em geral, bem como, em particular, a todos aqueles que enquanto clientes têm confiado em nós, pelo apoio manifestado durante todo este tempo, e, em especial, pelo recebido durante as últimas semanas. Acreditamos estar a contribuir significativamente para a modernização do transporte marítimo existente, que se esta traduzindo numa diminuição do custo de deslocação de passageiros e de mercadorias entre o Continente e a Ilha da Madeira. Esperamos poder continuar a contar com o seu apoio e desejamos fazer-lhes chegar o nosso compromisso com esta Linha, que manteremos no futuro, pese embora as pressões que possamos sofrer".
***
Já agora recomendo a leitura dos seguintes documentos da Comissão Europeia, relacionados com os transportes marítimos:
- Vers un espace européen de transport maritime sans barrières (aqui e aqui, conforme queiram guardar o documento em word ou pdf);
- La Commission présente les objectifs stratégiques de la politique du transport maritime de l'UE jusqu'en 2018 (aqui e aqui, conforme queiram guardar o documento em word ou pdf);
- The European Union's maritime transport policy for 2018 (aqui e aqui, conforme queiram guardar o documento em word ou pdf).

Futebol: AIG abandona Manchester

Li na rubrica económica do Publico, num texto da jornalista Ana Rita Faria, que a AIG não vai renovar patrocínio ao Manchester United: "A seguradora AIG, que esteve à beira do colapso no ano passado, anunciou que não vai renovar o seu contrato de patrocínio ao Mancheste United. Uma empresa indiana, com a qual o clube inglês onde joga Cristiano Ronaldo tem mantido contactos, pode vir a ser o substituto da AIG.O acordo de patrocínio da AIG ao Manchester expira em Maio de 2010 e envolve cerca de 14 milhões de libras por ano (15 milhões de euros), durante quatro anos. A seguradora está actualmente em reestruturação, depois de ter recebido uma ajuda de 150 mil milhões de dólares (cerca de 117 mil milhões de euros) do Governo norte-americano.Mas o Manchester United tem já debaixo de olho uma empresa da Índia para substituir a AIG. De acordo com o “Hindustan Times”, o Manchester sondou a Sahara Índia Pariwar, patrocinadora da selecção nacional indiana de criket, com o intuito de saber se esta estaria interessada em patrocinar o clube inglês.O jornal indiano revela ainda que a Sahara, uma empresa de seguros e serviços financeiros, recebeu no mês passado uma carta do Manchester United indicando que estaria “num lote seleccionado” de potenciais patrocinadores da equipa de futebol da liga inglesa".

Açores: orçamento da Assembleia Regional reforçado em mais 1,2 milhões de euros

Segundo o Correio dos Açores, "o aumento do número de deputados e de partidos representados no Parlamento dos Açores no início desta nova legislatura, vai obrigar a um reforço do Orçamento da Assembleia Regional em 1,2 milhões de euros em 2009. A proposta de Orçamento, que será submetida à votação dos deputados no plenário da próxima semana, reflecte não apenas o aumento de despesas com a eleição de 57 deputados (mais cinco que na anterior legislatura), mas também a entrada no Parlamento de novas forças políticas (BE, CDU e PPM), que se vieram juntar ao PS, PSD e CDS/PP, que já tinham representação parlamentar. Com mais partidos representados na Assembleia Legislativa dos Açores, mais deputados e mais adjuntos, aumentam também as despesas com o apoio parlamentar, em cerca de 63 por cento (em 2008 tinham ficado abaixo dos 800 mil euros, em 2009 vão rondar 1,3 milhões de euros). Só as despesas com os 57 deputados açorianos sobe de 2,2 para 2,5 milhões de euros anuais, ao passo que a rubrica das despesas de representação aumenta exponencialmente (92 por cento), passando de 351 mil euros no ano passado, para cerca de 675 mil euros este ano. O Orçamento da Assembleia para 2009 integra ainda um aumento de 2,9% nos salários dos deputados e funcionários do Parlamento. Além das despesas correntes, aumentam também as despesas de capital, em cerca de 200 mil euros para investimentos na renovação do sistema de som do Parlamento e para a manutenção do sistema informático. O PS, o PPM e o BE já fizeram chegar ao Parlamento propostas de alteração à lei orgânica da Assembleia, no sentido de procurar reduzir as despesas de funcionamento do órgão máximo da autonomia regional. Os socialistas foram os primeiros a fazê-lo, logo após as eleições legislativas de Outubro passado, e defendem a redução das subvenções atribuídas aos partidos e cortes nas contratações de representações e grupos parlamentares. Em reacção ao projecto do PS, que retirava capacidade de intervenção, sobretudo, aos partidos mais pequenos, o PPM e o Bloco de Esquerda decidiram apresentara propostas alternativas. Os monárquicos defendem cortes nas subvenções aos partidos num montante ainda superior ao que foi proposto pelos socialistas, mas em contrapartida, entendem que se deve manter o número mínimo de funcionários por partido, ou seja, um adjunto, um secretário e um auxiliar. Por outro lado, o projecto do Bloco de Esquerda assenta no sistema em vigor na Assembleia da República, isto é, o Parlamento atribui um plafond anual aos partidos, para encargos na contratação de pessoal, e cada grupo parlamentar escolhe os funcionários que entender. Além disso, o BE defende que cada bancada ou representação parlamentar deve ter direito a uma subvenção anual para despesas, com valores eventualmente inferiores aos actuais, desde que os cortes no orçamento sejam feitos de igual forma em todos os partidos e não apenas nos mais pequenos. Estratégia diferente adoptaram o PSD, o CDS/PP e o PCP, que vão esperar pela discussão destes projectos em plenário, para só depois apresentarem propostas de alteração".

Vaticano lançou canal próprio no Youtube

Escreve a jornalista do Publico, Luisa Castro e Brito, que o Vaticano "lançou o seu próprio canal no espaço de partilha de vídeos online YouTube. O lançamento do canal foi divulgado conjuntamente com a mensagem do Papa Bento XVI para o Dia Mundial das Comunicações da Igreja, sob o tema Novas Tecnologias, Novas Relações: Promover a Cultura do Respeito, Diálogo e AmizadeO Vaticano já tem uma página oficial na Internet desde 1995, mas a criação do canal de vídeo próprio marca uma entrada de maior alcance no ciberespaço. O canal youtube.com/vatican transmitirá diariamente vídeos das actividades do Papa, do Vaticano e de eventos da Igreja Católica. Os conteúdos, que inicialmente estarão disponíveis em inglês, espanhol, alemão e italiano, serão controlados e produzidos pelos próprios órgãos de imprensa do Vaticano. Na sua mensagem de boas vindas aos utilizadores do YouTube, Bento XVI diz esperar que esta iniciativa seja posta “ao serviço da verdade” e sirva para promover a compreensão e solidariedade humana. O Pontífice da Igreja Católica considera que “estas tecnologias são uma verdadeira bênção para a humanidade: por isso temos que assegurar que as vantagens que oferecem são postas ao serviço de todas as pessoas e comunidades”. Referido na imprensa do Vaticano como um verdadeiro “fã das novas tecnologias”, Bento XVI não deixa de alertar os jovens para “fazerem uma utilização sensata e evitar uma obsessão pelo online que os pode isolar da vida real, da família e dos amigos”. (veja aqui o video com a notícia da RTP sobre este assunto)

Empresas açorianas roubadas pela internet

Segundo o Correio dos Açores, "milhares de euros “voaram” de contas de empresas da Terceira por burla informática que agora está a ser investigada pela PSP. Os burlões, cuja identidade não foi ainda captada pela polícia serviram-se de NIB e passwords roubados, provavelmente via internet para fazer as transferências, duas das quais foram goradas. No entanto, todo o cuidado é pouco porque, segundo apurámos, há já técnicas que permitem a cópia destes elementos, através do simples digitar de um teclado de computador. E, nos Açores, já não é a primeira vez que se registam casos destes género, com recurso a técnicas cada vez mais sofisticadas".

Mário Soares e os casamentos gay

Li aqui que o ex-Presidente da República, Mário Soares, afirmou que "os casamentos entre homossexuais são uma questão de consciência, ao mesmo tempo que advertiu que não são esses os problemas fundamentais do país. «Os casamentos entre homossexuais são questões de consciência complicadas, não são esses os problemas fundamentais... mas há certos radicais que querem ir adiante para mostrarem que são de esquerda», disse Mário Soares. «Se estivesse na minha mão, agiria com mais prudência para acabar com as desigualdades sociais, dar mais prestígio ao trabalho, aos trabalhadores e aos sindicatos», sustentou. Mário Soares respondia a uma questão colocada por um elemento da assistência após ter proferido uma palestra sobre a separação entre a Igreja e Estado desde a I República até à actualidade" (veja aqui o video com a notícia da RTP sobre este tema).

Rapazinho sério é isto...

Escreve a jornalista do Jornal de Negócios, Laura Rosa que "os dados das autoridades da Florida mostram que Fuld vendeu à sua mulher Kathleen a mansão que tinham adquirido por 13,75 milhões de dólares em Março de 2004, por apenas 10 dólares, segundo refere o “New York Times”.Fuld tem estado a ser inspeccionado pelas autoridades federais norte-americanas desde que o Lehman declarou falência em Setembro de 2008, tendo sido ouvido pelo Congresso dos EUA no ano passado.Esta medida eleva as expectativas de que o antigo responsável do banco esteja a evitar que possíveis processos judiciais lhe retirem a propriedade.“Este é o truque mais velho dos livros” afirmou o advogado Eric S. Ruff da Ruff & Cohn citado pelo “New York Times”. O advogado acrescentou ainda que “é comum quando se ouvem os pés dos nossos credores a aproximarem-se.”No entanto, esta medida poderá não ser suficiente para evitar que lhe seja retirada a propriedade, caso surja essa decisão judicial, uma vez que aquela não é a residência do casal, sublinhou ainda Ruff.O advogado contactado pelo New York Times destaca ainda o facto de uma venda em valor muito inferior ao esperado poder ser considerada fraudulenta, salvaguardando que o pagamento de 10 dólares pode ser apenas uma parte do pagamento".

Notícias da aviação

TAP prevê transportar 9,2 milhões de passageiros em 2009
A TAP prevê transportar ao longo deste ano, 9,2 milhões de passageiros em todas as suas rotas, o que representa um aumento de 3,3 por cento face a 2008, anunciou hoje o administrador-executivo da companhia aérea."Em 2009, pretendemos continuar a crescer e temos o objectivo de transportar 9,2 milhões de passageiros, mais 464 mil passageiros que em 2008", afirmou Luiz Mór, durante uma conferência de imprensa de balanço da actividade comercial da TAP em 2008 e perspectivas para este ano.Um objectivo "ambicioso" para um ano que "não é fácil de prever", pautado por uma "situação económica muito difícil e uma incerteza muito grande", salientou o administrador-executivo.Neste contexto de crise, defendeu, a TAP deverá apostar na procura de novos mercados e ser "agressiva".A exemplo, referiu que TAP vai lançar, a partir de Junho, três novas rotas, todas com cinco frequências semanais: Lisboa-Moscovo, Lisboa-Varsóvia e Lisboa-Helsínquia.Este ano, a TAP vai operar com uma frota de 71 aviões, 16 dos quais pertencentes à Portugália.Em 2008, a TAP transportou 8,7 milhões de passageiros, mais 12,3 por cento que em 2007.O maior crescimento no número de passageiros transportados verificou-se nos voos para o Brasil (20,4 por cento), seguindo-se África (17,5 por cento), Venezuela (15,5), e Europa (13,4 por cento).
***
A proposta de fusão entre as companhias aéreas British Airways e Iberia está ameaçada. Quem o assume é o chefe-executivo da empresa britânica, Willie Walsh, que em declarações ao jornal britânico Financial Times, edição de ontem, afirmou que as actuais avaliações das companhias no mercado de capitais são inaceitáveis.Quando as bolsas fecharam na sexta-feira, o valor da companhia aérea espanhola Iberia ultrapassou, pela primeira vez, o da British Airways desde que as negociações para uma fusão começaram, em Julho último. A valorização relativa da companhia britânica foi penalizada por uma combinação de factores: a queda do preço de suas acções devido à crise económica [Reino Unido está em recessão pela primeira vez em 18 anos] e à forte desvalorização da libra face ao euro. "A valorização actual [da empresa] seria inaceitável. Nossos accionistas não aceitariam", afirmou Willie Walsh.
***
British Airways com perdas de 160 milhões
A companhia aérea britânica British Airways anunciou prever registar perdas de 150 milhões de libras (158,9 milhões de euros) no final do exercício fiscal que termina em Março. Em comunicado, a British Airways refere que as suas estimativas reflectem 'o agravamento das condições económicas' e adianta que 'as perspectivas para Fevereiro e Março, combinadas com a queda da libra, terão impacto no exercício do ano que terminará a 31 de Março'. Só no trimestre terminado em Dezembro de 2008, a companhia deverá apresentar uma perda operacional de 50 milhões de libras (53 milhões de euros). Na sequência deste anúncio feito ao mercado, as acções da British Airways caíram 7,3 por cento.
***
Iberia transportó en 2008 más de 33,5 millones de pasajeros, casi siete millones menos que en el ejercicio anterior, lo que supone una reducción del 17 por ciento respecto a los 44,4 millones registrados hace un año, según recogen las estadísticas de tráfico aéreo de AENA. Además de la debilidad de la demanda por la crisis económica y la reducción de la oferta del sector de transporte aéreo, las compañías que operan en el mercado español se han visto afectadas por la competencia del tren de alta velocidad, especialmente Madrid-Barcelona.Por su parte, Spanair, a pesar de su programa de viabilidad, que ha implicado una reducción de rutas en el segundo semestre del año, mantuvo su segunda posición en España, con un total de 16,8 millones de pasajeros. Esta cifra significa 2,2 millones de pasajeros menos que en 2007, es decir, una caída del 11,4 %.En 2008, la aerolínea de bajo coste irlandesa Ryanair relevó a Air Europa de su tercer puesto en España, con 14,9 millones de pasajeros transportados, un 33,6% más que en 2007.

Canárias quer fundos da ultraperiferia para abrir novas rotas aéreas e marítimas com África

Li há dias, num texto da jornalista Jaminka Romanos do Prensa Escrita, "el foro de conectividad y transporte que se desarrollou en Lanzarote, organizado por el Gobierno de Canarias, reúne a representantes públicos, tanto de las administraciones locales como de la Unión Europea y de países africanos, como Marruecos o Mauritania, junto a empresarios canarios y africanos y tiene como objetivo mejorar la conectividad y el intercambio económico entre Canarias y África. El foro nace al amparo de la comunicación de la Comisión Europea “Las regiones ultraperiféricas: una ventaja para Europa”.Soria señaló que esos mecanismos de apoyo se pueden articular desde el plan operativo Feder de Canarias 2007-2013 que fija la posibilidad de dotar de recursos del fondo de ultraperificidad para ayudas al transporte, dentro de la libre competencia.Tanto Soria como el resto de los ponentes reconocieron que existe un problema de conectividad de las islas con el continente africano, pero también entre islas y que ese problema es un problema “estructural”, según el vicepresidente. Apostó por la internacionalización de las empresas canarias para paliar los efectos de la crisis y consideró que esa internacionalización ha pasado a ser una necesidad recíproca. Para ese paso internacional es imprescindible, según Soria, fortalecer e impulsar las rutas de conexión con África. Señaló que en la jornada de hoy deberían aclararse qué tipo de mecanismos se pueden aplicar para compensar los sobrecostes de la ultraperificidad que impiden el desarrollo de muchos proyectos empresariales".

Canárias: a comunidade espanhola com mais desemprego

Vejam bem estes indicadores de desemprego. Segundo o digital Canarias Ahora, "el paro subió el pasado año en todas las comunidades autónomas, especialmente en Canarias (98,13%), Murcia (96,38%), Cantabria (95,69) y Castilla-La Mancha (95,50), frente a los únicos saldos negativos de Melilla y Ceuta con -15,04 y -8,52 %, respectivamente. En concreto, Canarias cerró el año con 223.600 desocupados. Así, la tasa de paro se sitúa en el 21,8%, según estos datos. La EPA refleja que, en los últimos tres meses de 2008, perdieron su puesto de trabajo en las Islas 40.600 personas, lo que supone un incremento del 22,1% con respecto al tercer trimestre del año pasado. Con respecto al cuarto trimestre de 2007, el aumento de desocupados supera las 110.000 personas en las Islas, con un incremento porcentual de la población desocupada del 98,1%. Según la Encuesta de Población Activa (EPA), difundida este viernes por el Instituto Nacional de Estadística, en el conjunto de España el paro subió en 1.280.300 personas en 2008, un 66,42%, y la tasa de paro se situó en el 13,91%. Además de los aumentos de Canarias, Murcia, Cantabria y Castilla-La Mancha, el paro también subió de forma significativa en Navarra (93,63%), Aragón (92,15), Cataluña (81,02), La Rioja (75,74) y Comunidad Valenciana (70,99),Por debajo de la media nacional (66,42%) se situaron Madrid (64,90), Castilla y León (63,68), Andalucía (62,26), País Vasco (45,81), Baleares (41,84), Galicia (33,65), Asturias (26,42) y Extremadura (23,15). En términos absolutos, el paro subió más en Andalucía (326.300), seguido de Cataluña (204.000) y Comunidad Valenciana (158.500). Respecto al tercer trimestre de 2008, subió más en Aragón (54,76%), Cantabria (40,13), Castilla-La Mancha (32,63), Cataluña (32,62) y País Vasco (31,52%), mientras que bajó significativamente en Melilla (-36,76%) y Ceuta (-1,48)".

Canárias negoceia com UE sobre POSEI e banana

Segundo o Canarias-7, "el presidente del Gobierno de Canarias, Paulino Rivero, se reunirá mañana en Bruselas con la comisaria europea de Agricultura y Desarrollo Rural, Mariann Fischer, para analizar, entre otros asuntos, la modificación del programa POSEI para 2009 y el régimen de importación de plátanos. Paulino Rivero "planteará a la comisaria de Agricultura que la UE se mantenga firme en la defensa del régimen de importación de plátanos a la UE en el marco de la Organización Mundial del Comercio (OMC) y que no haya una drástica reducción de los aranceles al banano que se importa desde distintos países de Latinoamérica", según se anticipa en un comunicado de su Ejecutivo. En él se argumenta que "un descenso significativo del actual arancel de 176 euros por tonelada causaría un grave perjuicio a los productores de plátano de las regiones ultraperiféricas". Con respecto al POSEI, el programa de opciones específicas para el Archipiélago, se destaca que el Gobierno canario "defenderá la nueva ayuda al sector tomatero de las Islas para compensar el diferencial de costes de producción con respecto a las producciones continentales, teniendo en cuenta, además, la grave crisis que atraviesa este sector". Um tema que tamb+em pode ser lido aqui.

Açores: são poucos os alunos que prosseguem estudos

Li aqui que "apenas 12,5% dos alunos que concluíram cursos de ensino profissional, em 2007/2008, na região, optou por ingressar no ensino superior. Segundo dados da Direcção Regional da Educação, concluíram cursos de ensino profissional, nos Açores, no ano lectivo 2007/2008, 447 alunos. Ainda assim contrariamente ao que acontece a nível nacional, apenas 56 alunos, cerca de 12,5%, optaram por prosseguir os estudos no ensino superior. Num estudo realizado a nível nacional, em 2004, cerca de 50% dos inquiridos tinha intenção de prosseguir os estudos. A Escola Profissional do Sindicato de Escritório e Comércio de S. Miguel e Santa Maria (EPROSEC) é a que apresenta um maior número de alunos que ingressaram no ensino superior, mais precisamente 23 estudantes. Do total, 12 alunos optaram por aperfeiçoar os estudos em Cursos de Especialização Tecnológica (CET). Ainda assim, cinco das 15 escolas profissionais da região não registam casos de alunos que tivessem continuado os estudos. Ainda segundo dados da Direcção Regional da Educação, apenas 35 dos 447 alunos que concluíram cursos de ensino profissional no ano lectivo anterior, estão desempregados. Destes 10 frequentaram a Escola Profissional do Pico e nove a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada".

INE: Estabelecimentos Comerciais

O INE editou a publicação "Estabelecimentos Comerciais - Unidades de Dimensão Relevante - 2007" (editada em 2009), através da qual divulga os principais resultados do Inquérito aos Estabelecimentos Comerciais – Unidades de Dimensão Relevante. Para ler o documento em pdf aqui e para consultar e guardar ios quadros em excel, aqui.

A propósito dos mercados financeiros

A propósito dos mercados financeiros, e das patifarias dos iluminados que por aí andam em negociatas, tanto com o demónio como com os anjos, enviaram-me esta curiosa história que mostra bem como as coisas funcionam quando a ideia é mesmo enganar e roubar cidadãos indefesos e ignorantes: "Uma vez, num lugarejo qualquer, apareceu um homem anunciando aos aldeões que compraria macacos por €10 cada. Os aldeões, sabendo que havia muitos macacos na região, foram à floresta e iniciaram a caça. O homem comprou centenas de macacos a €10 enquanto os aldeões diminuíram os seus esforços na caça. Vendo isso, o homem anunciou que passaria a pagar €20 por cada macaco e os aldeões retomaram os seus esforços e foram novamente para a caça. Os macacos foram escasseando cada vez mais e os aldeões desistindo de novo de os procurar. A oferta aumentou para €25 mas a verdade é que a quantidade de macacos ficou tão pequena que já não havia mais interesse na caça. O homem anunciou então que agora compraria cada macaco por €50! Entretanto, como tinha que ir à cidade grande buscar o dinheiro para pagar, deixaria o seu assistente cuidando da compra dos macacos. Na sua ausência, o assistente disse aos aldeões: "Olhem todos estes macacos que o homem comprou aqui na jaula. Eu posso vender-vos por €35 cada e, quando o homem voltar da cidade com o dinheiro, vocês podem vender-lhe por €50 cada". Os aldeões pegaram nas suas economias e compraram todos os macacos do assistente. Eles nunca mais viram nem o homem que foi buscar o dinheiro à cidade grande nem o seu assistente, somente macacos por todos os lados.Agora ficaste a saber como funcionam os mercados financeiros?". A questão é estarem com os olhos bem abertos.

A declaração de José Sócrates (II)

"Quero repudiar, mais uma vez, e com indignação, as notícias difamatórias que a meu respeito têm sido divulgadas e alimentadas na comunicação social, a propósito do licenciamento do projecto Freeport.
Com o comunicado oficial de hoje, divulgado pela Procuradoria Geral da República – única autoridade competente para prestar esclarecimentos idóneos – o País ficou a saber, uma vez mais, que a verdade do que é a investigação do caso Freeport não corresponde aquilo que tem sido noticiado. Essas notícias baseiam-se, portanto, em fugas de informação selectivas, manipuladas e orientadas com um único fim: atingir-me pessoal e politicamente. Fugas de informação que – afinal – não fazem mais do que aproveitar, e explorar, as mesmas acusações caluniosas, da mesma carta anónima, que deu pretexto para os ataques pessoais de que fui alvo em plena campanha eleitoral de 2005.
Reafirmo, com total segurança, porque esta é a verdade dos factos, o seguinte:
1. A autorização ambiental do projecto Freeport obedeceu ao cumprimento rigoroso de todas as norma legais em vigor, como se tornou claro para quem esteja de boa-fé.
2. O projecto respeitou também, como foi confirmado pela Comissão Europeia, todas as exigências ambientais próprias de uma zona de protecção especial para a conservação da natureza.
3. Em terceiro lugar, a Declaração de Impacte Ambiental foi emitida sem nenhuma espécie de favorecimento, nem outra motivação que não fosse a defesa do interesse público.
Já não é a primeira vez que passo por esta provação. A provação de ter de enfrentar uma campanha negra, e com as técnicas de sempre. As técnicas da deturpação e da insídia, com o intuito de afectar a minha honra e de pôr em causa a minha integridade pessoal.
Sei bem que isto é um teste de resistência. Mas repito, não é desta forma que me vencem. Porque em democracia, não podem vencer os que usam a arma da calúnia. Continuarei a dar o meu melhor para resolver os problemas do País. É esse o meu dever e é isso que farei em nome das responsabilidades que os portugueses democraticamente me confiaram. Quero finalmente, e mais uma vez, exprimir a minha total confiança nas instituições da justiça. Sei bem que darão o seu melhor para apurar toda a verdade".
***
Procuradora revela aspectos sobre o caso Freeport
***
Partidos políticos recusam estratégia de vitimização

A declaração de José Sócrates

Foi esta a declaração do primeiro-ministro José Sócrates proferida hoje ao final da tarde na sequência de notícias sobre o chamado "Caso Freeport":

Sócrátes: uma boa declaração

O primeiro-ministro leu uma declaração que considero ser a mais correcta ao momento e acabou por optar pela solução mais adequada. Continuo a reafirmar a minha opinião pessoal de que José Sócrates, pelo seu perfil, não estará envolvido neste processo nos termos que algumas insinuações querem apontar. Foi uma boa declaração, uma vez mais é essa a minha opinião, de um primeiro-ministro que se mostrou seguro.

Caso Freeport: o que vai dizer Sócrates?

O que pode afinal dizer José Sócrates nesta demorada declaração aos jornalistas? Das duas uma, penso eu: Sócrates ou vai reafirmar a sua inocência - na qual continuo a acreditar - ou face á especulação surgida com os dados novos hoje divulgados, optará por uma posição de força e antecipará a tão falada demissão do Governo provocando assim antecipação de eleições legislativas. Acredito na primeira hipótese embora pelo perfil de Sócrates a segunda opção não me pareça tão absurda. Enquanto isso recomendo o visionamento deste video com as declarações de Saldanha Sanchez à SIC. Pelo menos dá que pensar...